News

Pouca oferta e muita demanda para alho da Califórnia

11 de abril de 2017
Garlic_image_edited_1

A oferta de alho produzido na Califórnia passa por um período de escassez. “Em 2015, o cultivo de alho na Califórnia teve um rendimento muito mais baixo do que o previsto”, recorda Ken Christopher, da empresa Christopher Ranch, localizado em Gilroy, na Califórnia. Ele observa que esse período foi consequência de um inverno muito mais quente que o normal. Segundo Ken, o alho da Califórnia precisa de invernos frios e primaveras e verões quentes. “Por conta da má qualidade e baixos volumes, vendemos a safra de 2015 mais cedo do que o planejado e tivemos que compensar com níveis recordes de exportações para muitos clientes, o que elevou o preço do produto importado”, acrescentou.

Isso fez com que a demanda para a colheita 2016 aumentasse. “Esse aumento da demanda tem permanecido constante”, observa Christopher. “A pequena produção de alho da Califórnia, juntamente com o preço elevado das importações, levou a uma situação onde a demanda de alho da Califórnia continua a superar a oferta.”

garlic_image_2_edited

Outras áreas afetadas

Além disso, segundo Patsy Ross, também da empresa Christopher Ranch, a produção de sementes da empresa também foi afetada. “Como você tem que plantar um dente de alho para obter um bulbo, estas condições meteorológicas também afetaram nossa produção de semente”, diz.

Enquanto isso, os preços do alho aumentaram, em relação ao ano passado. “O preço médio do alho subiu em 5% desde o ano passado”, continua Christopher. “Tem a ver com a necessidade de repassar parte dos elevados custos de colheita e produção de geografia que temos na costa central da Califórnia. É caro ter um negócio nesta área”.

O alho nacional é o preferido?

No entanto, Christopher esclarece que o preço do alho importado aumentou mais rapidamente do que o californiano. “As importações são consideradas um verdadeiro deleite, com preços imprevisíveis. E este ano, o alho chinês está, muitas vezes, mais caro do que o californiano. O mercado de importação tem sido um pouco volátil e nós preferimos concentrar em fornecer preços mais estáveis e previsíveis”,  conta.

“Ambos os clientes, dos EUA e Canadá, estão cada vez mais pedindo alho cultivado na América”, diz Christopher.  Para 2017, ele prevê a qualidade da colheita normal e produção sólida. “Ficamos muito satisfeitos com a colheita de 2016 e ansiosos para ter uma boa colheita neste verão”.

Fonte: FreshPlaza