News

Espanha espera que acordo UE-Mercosul seja retomado e “fechado com sucesso”

25 de abril de 2017
bandeiras-brasil-espanha

São Paulo.- Representantes de empresas e do governo da Espanha disseram nesta segunda-feira esperar que o acordo de livre-comércio entre a União Europeia (UE) e Mercosul seja retomado e “fechado com sucesso” o mais rápido possível, alegando que beneficiará os dois blocos.

“Somos defensores dessa posição de livre-comércio e estamos colaborando para que as negociações entre a UE e o Mercosul sejam retomadas e sejam concluídas com sucesso”, disse a secretária de Estado de Comércio da Espanha, María Luisa Poncela, no I Fórum Espanha-Brasil, realizado nesta segunda-feira em São Paulo.

Para Poncela, um eventual acordo entre os dois blocos permitirá “uma redução de tarifas, a diminuição de barreiras não tarifárias e um melhor acesso a mercados diversos”, o que posteriormente significará produtos “mais baratos”.

Mercosul e UE negociam há anos um acordo de livre-comércio que promete gerar um aumento considerável nas transações comerciais caso seja concretizado.

O secretário de Estado de Cooperação Internacional e para a Iberoamérica da Espanha, Fernando García Casas, analisou que “o sinal mais potente” que poderia ser dado pela comunidade internacional sobre a defesa do livre-comércio “é lançar os novos acordos Chile-UE e México-UE e que o acordo do Mercosul seja uma realidade” até o fim do ano.

García Casas disse apostar em “abrir as fronteiras” e evitar “os cruzamentos difíceis de fronteiras”, além de uma “globalização mais intensa” e “humana”.

O presidente da Câmara de Comércio da Espanha, José Luis Bonet, que também dirige a empresa Freixenet, espera que o acordo UE-Mercosul “seja uma realidade o mais rápido possível” porque com ele “se estreitarão os laços e as alianças”.

O vice-presidente da Confederação Espanhola de Organizações Empresariais (CEOE), Joaquín Gay de Montellá, definiu o atual momento como “uma boa oportunidade para terminar em pouco tempo” o acordo UE-Mercosul, embora sempre cumprindo as regras da Organização Mundial do Comércio (OMC).

María Luisa Poncela acrescentou que um hipotético acordo de livre-comércio precisa vir acompanhado de políticas que apoiem “a redistribuição do emprego” e mantenham “a competitividade dos setores” com a meta de gerar riqueza e melhorias aos dois lados.

Em discurso, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso opinou que o Mercosul nunca chegou ao mesmo nível de integração da União Europeia, mas que “agora o desafio não é se fechar, e sim reinvestir”.

“Há certo espaço para negociar com outros países da América Latina, como México, e com a Europa”, afirmou o ex-governante.

O I Fórum Espanha-Brasil, realizado nesta segunda-feira em São Paulo, contou com a participação de representantes dos governos, empresas e sociedade civil de ambos os países com o objetivo de desenvolver as relações bilaterais e reforçar a visão de sócios estratégicos.

Fonte: UOL