News

Em Santa Juliana, produtores destacam a importância da manutenção do direito antidumping

31 de julho de 2017
produtores-de-alho-de-santa-juliana

A Associação Nacional dos Produtores de Alho (ANAPA) levou, pela primeira vez, a reunião institucional para conhecimento dos produtores da cidade de Santa Juliana, no interior de Minas Gerais, na última quinta-feira (27). Organizado pela Agropecuária Alex Mussi, o encontro elevou o tom sobre a importância da tarifa antidumping.

O presidente da ANAPA, Rafael Jorge Corsino, avaliou que a tarifa antidumping inibe a competição desleal. Segundo ele, o dumping que a China pratica no mercado interno brasileiro é prejudicial ao setor e pode até inviabilizar a produção de alho no país. “Mesmo com a aplicação do direito antidumping, as importações da China não param de crescer. Esse mecanismo de defesa comercial, não só deixa o produto nacional em igual competição com o alho importado da China, como ajuda a fortalecer o setor e a impulsionar o crescimento da produção brasileira”, explicou.

De acordo com os dados apresentados por Corsino, os custos de importação, incluindo a LETEC e a taxa antidumping, tendo como base a cotação atual do dólar, está na média de R$ 90,00 a caixa. Os mesmos custos de importação, sem o antidumping e a LETEC, caem para R$ 50,00, ou seja, uma diferença de R$ 40,00. “O trabalho que a ANAPA realiza em defesa da produção nacional é de fundamental importância para sobrevida do setor. Sem essas tarifas de defesa comercial seria impossível produzir alho no Brasil, pois os custos elevados de produção não deixariam margem de lucro para o produtor”, relatou.

Rafael Corsino lembrou que o direito antidumping para o alho vence no próximo ano, em 2018. Segundo ele, não se sabe ao certo como será feita a renovação da tarifa, já que a cláusula que permitia o uso de valores de um terceiro país, como referência para casos de dumping, não poderá ser mais empregada. “Vamos discutir com o governo à exaustão até acharmos uma saída, mas os produtores não podem perder a defesa do antidumping”, declarou o presidente da ANAPA.